Portabilidade de
Empréstimo Consignado

Juros baixos, parcelas menores e mais tempo para pagar. Muitos benefícios nasuaconta

Vantagens de fazer Portabilidade do seu Consignado

Economia a longo prazo
Aqui nasuaconta você encontra juros menores para fazer um contrato pagando menos e economizar a longo prazo.

Uma vida financeira mais saudável
Com juros mais baixos, aumentam suas chances de se livrar das dívidas e alcançar uma vida financeira mais saudável.

Cadastre-se agora em nossa lista de espera!

Estamos preparando o lançamento de nossas ofertas de crédito consignado, que chegarão para inovar esse mercado e permitir que mais pessoas tenham acesso a crédito, realizem seus sonhos e organizem suas vidas. A contratação será simples, rápida e diretamente pelo nosso site ou aplicativo, você poderá fazer de casa 😉  

Quer receber essas oportunidades exclusivas? Cadastre-se em nossa lista de espera e entraremos em contato em breve. 

Tipos de Portabilidade

Portabilidade com redução da parcela

Ideal para quem não precisa de mais dinheiro e busca facilitar o pagamento mensal, diminuindo o valor da parcela.

Portabilidade com troco

Pensada para quem precisa de mais dinheiro. O “troco” é um valor extra que o você tem acesso quando faz a portabilidade.

Quem pode fazer a
Portabilidade de Consignado?

Atualmente, a portabilidade de consignado está disponível para todo e qualquer cliente que tenha um empréstimo consignado em seu nome.

foto quem pode 1

Conheça os serviços que cabem nasuaconta

Antecipação do saque-aniversário

FGTS na conta, sem pagamento de parcela mensal

Cartão consignado

Sem anuidade e disponível para negativados

Empréstimo consignado

Acesse as melhores taxas de juros do mercado

Tire suas dúvidas sobre a Portabilidade de Consignado

A portabilidade de consignado é o serviço de transferir a dívida de uma instituição financeira para outra. Essa transferência é um direito garantido por lei.

Dessa forma, clientes podem continuar buscando condições de pagamento mais vantajosas mesmo depois de terem feito um contrato. Na prática, a nova instituição financeira quita a dívida com a instituição anterior, e o cliente passa a dever apenas para a nova.

O funcionamento da portabilidade de empréstimo consignado pode ser melhor compreendido se dividido em algumas etapas.

Análise do próprio contrato: Antes de mais nada, é preciso entender todos os detalhes do contrato atual. Dessa forma, será possível fazer uma pesquisa mais direcionada e filtrar as melhores opções.

Solicitação: O cliente deve entrar em contato com a instituição financeira e fazer o pedido de transferência, que é o primeiro passo oficial da portabilidade.

Avaliação da CIP: A CIP (Câmara Interbancária de Pagamentos) é a responsável pelo processo da portabilidade. Ela é quem faz a mediação entre as duas instituições financeiras – a do contrato anterior e a do novo.

Prazo: É necessário esperar o prazo para que a instituição financeira anterior faça a sua parte na portabilidade. Nesse tempo, que é de 5 dias, a instituição tem o direito de entrar em contato com o cliente e oferecer condições mais vantajosas. Caso isso aconteça, cabe a cada cliente avaliar e decidir qual a melhor escolha.

Final: Caso o cliente desista de realizar a portabilidade, o procedimento é cancelado. Mas se a escolha for por realizar a portabilidade, depois de 5 dias o processo deverá ser finalizado adequadamente e a portabilidade estará pronta.

Atualmente, a portabilidade de consignado está disponível para todo e qualquer cliente que tenha um empréstimo consignado em seu nome. Em outras palavras, qualquer um que tenha um contrato de consignado pode fazer portabilidade. 

Confira, a seguir, a lista com os grupos de possíveis clientes.

  • Militares das forças armadas;
  • Trabalhadores do setor privado em regime CLT;
  • Aposentados do INSS;
  • Servidores públicos federais (SIAPE);
  • Servidores públicos estaduais e municipais;
  • Pensionistas da Previdência Social.

Contudo, como era de se esperar, é preciso encontrar uma instituição financeira que ofereça crédito com condições melhores. Além disso, também é importante conferir se quem realiza o pagamento tem convênio com a nova instituição financeira. Essa verificação ajuda a garantir que a portabilidade pode, de fato, ser feita entre as instituições financeiras.

Clientes que já procuraram informações a respeito da portabilidade de empréstimo consignado provavelmente se depararam com uma escolha. Afinal, existe mais do que um tipo de contrato de portabilidade. Então se você está pensando a respeito de fazer a portabilidade, o ideal é entender esses tipos antes. 

Portabilidade com redução da parcela

A portabilidade com redução da parcela é a preferência de um tipo específico de clientes. Aqueles que não precisam de mais dinheiro, apenas buscam facilitar o pagamento mensal diminuindo o valor da parcela. 

A alternativa de reduzir o valor da parcela é dividida em duas possibilidades. 

Uma delas, como era de se esperar, afeta diretamente o prazo final do empréstimo. Em outras palavras, o que acontece é que o contrato ganha um prazo maior e, consequentemente, aumenta a quantidade de parcelas restantes. Assim, a dívida é diluída ao longo de mais tempo, o que permite a redução no valor da parcela.

Por outro lado, existe uma opção que não afeta o prazo e mexe apenas nas taxas. Ao conseguir um contrato com juros menores, é possível reduzir o valor das parcelas e continuar pagando ao longo do mesmo tempo restante. Mas é importante salientar que, nesse caso, a redução no valor das parcelas não costuma ser tão drástica.

Portabilidade com troco

Ao contrário do caso anterior, a portabilidade com troco foi pensada para clientes que precisam de mais dinheiro. O chamado “troco” é um valor extra que o cliente tem acesso quando faz a portabilidade da dívida anterior.

Além de trocar de instituição financeira, nessa alternativa o cliente aumenta a sua dívida. Essa opção acaba não sendo tão ruim porque o aumento da dívida será feito em condições melhores. Afinal, a portabilidade só é possível quando a nova instituição contratada oferece benefícios em relação ao contrato anterior.

Ao fazer a portabilidade com troco, o cliente precisa decidir como esse troco irá afetar o contrato. Existem três opções para isso: aumentar a quantidade de parcelas (prazo), aumentar o valor pago mensalmente ou fazer as duas coisas ao mesmo tempo – aumentar a parcela e o prazo juntos.

Primeiramente, é preciso solicitar os detalhes do contrato de empréstimo atual junto a instituição financeira onde o contrato foi feito. Entre essas informações, devem estar:

  • A modalidade, que no caso é empréstimo consignado;
  • O saldo devedor atualizado;
  • A taxa de juros anual (nominal e efetiva);
  • O número do contrato;
  • O prazo total do contrato;
  • O prazo restante do contrato;
  • O valor de cada parcela;
  • A data do último vencimento da operação;
  • O demonstrativo da evolução do saldo devedor.

 

Depois de ter essas informações, a nova instituição financeira deve requisitar a portabilidade. Essa requisição só pode ser feita por solicitação do cliente.

A partir daí, basta esperar o prazo de 5 dias, que é o tempo limite para a portabilidade acontecer. Durante esse prazo, a instituição anterior pode entrar em contato com o cliente para tentar renegociar a dívida e, assim, evitar que o cliente transfira a sua dívida para outra instituição. Se o cliente gostar da proposta, basta cancelar a portabilidade. Caso prefira prosseguir, depois de 5 dias a portabilidade será concluída.

A principal vantagem de realizar a portabilidade do empréstimo consignado é obter melhores condições de pagamento. Em outras palavras, a ideia é conseguir encontrar juros menores para fazer um contrato em que será necessário pagar menos. Todas as outras vantagens são consequência do fato de que, com a portabilidade, será possível economizar no longo prazo.

Com juros menores, é possível pagar a dívida gastando menos. Assim, é mais fácil se livrar de dívidas que se acumulam e eventualmente quitá-las. A organização financeira também merece ser mencionada. E ela é quase uma consequência natural do fato de conseguir diminuir o valor pago. Com as finanças organizadas, aumentam as chances do cliente alcançar uma vida financeira saudável.

O processo de portabilidade envolve uma série de etapas. O tempo total para a conclusão da portabilidade pode chegar a aproximadamente 20 dias. Entenda, na lista a seguir, os prazos e as etapas do processo:
– 2 a 3 dias úteis – média do prazo que a CIP (Câmara Interbancária de Pagamentos) leva para processar os dados do contrato;
– 5 dias úteis – prazo para que, após a solicitação, a instituição entregue as informações (como o demonstrativo de evolução da dívida);
– 5 dias úteis – prazo para que a instituição onde o contrato original foi feito se manifeste e faça uma contraproposta para tentar manter o cliente;
– 2 dias úteis – média de tempo para que o contrato anterior seja quitado pela nova instituição financeira, para onde a dívida foi transferida;
– 5 dias úteis – prazo médio para que aconteça a baixa no pagamento;
– 1 dia útil – prazo para averbação do contrato. Essa é, finalmente, a parte que confirma o sucesso da portabilidade.

Sim, desistir da portabilidade é uma alternativa viável. Isso pode acontecer quando a instituição onde o cliente já tinha o contrato de empréstimo faz uma contraproposta mais vantajosa. Ou seja, quando o cliente consegue economizar mais continuando na mesma instituição do que transferindo a sua dívida para outra.

Caso o cliente decida cancelar a portabilidade, a instituição onde o contrato foi feito originalmente deve comunicar à nova instituição que o cliente desistiu da portabilidade. Esse processo deve acontecer em no máximo 2 dias úteis após o cliente formalizar a desistência. Além disso, toda a documentação confirmando a decisão do cliente de desistir da portabilidade deve ser registrada e mantida pela instituição financeira.

Defendemos a educação financeira como caminho para a independência 😉

Para se manter atualizado e aprender mais sobre como cuidar do seu dinheiro, acompanhe nosso blog